Higienização
Anal

A higiene pessoal é um tema bastante recorrente nos dias atuais. Todas as medidas de higiene pessoal podem afetar o conforto, a segurança e o bem-estar das pessoas. Quando nos deparamos com o tema, é recorrente associa-lo às medidas de higiene corporal como tomar banho, escovar os dentes, passar fio dental, lavar os cabelos ou ainda ter cuidado com as unhas. Ademais, a higiene perianal e especialmente da região anal propriamente dita deve ser realizada rotineiramente¹.

Como visto na seção sobre Doença Hemorroidária (para mais informações, clique aqui), a higiene inadequada da região perianal pode vir a exacerbar os sintomas causados por patologias na região anal².

As doenças anorretais e perianais estão frequentemente associadas à sintomas locais como sangramento, prurido, dor, prolapso e secreções, o que pode afetar significativamente a qualidade de vida dos pacientes².

Nesse sentido, vale destacar que o prurido anal constitui uma alteração local das mais comuns e irritantes, podendo afetar o paciente emocionalmente, inclusive. Suas causas podem ser das mais variadas, sendo tanto idiopáticas, ou seja, de causa desconhecida, quanto infecciosas, dermatológicas, relacionadas a hábitos, entre outros. Nesse contexto, a instituição de medidas higiênicas locais assume grande importância, pois são excelentes adjuvantes ao tratamento do alívio do prurido e desconforto, trazendo bem-estar para o paciente e melhorando sua qualidade de vida³.

A região anal requer uma higienização específica com pH ácido, atuando como uma forma natural de proteção. A acidez do meio é de tamanha importância que contraindica o uso de sabonetes convencionais cujo pH é alcalino pois estes podem acarretar em sensibilização e desidratação da pele.⁴,⁵.

Deve-se buscar, portanto, sabonetes íntimos específico para a região anal cujo o pH não seja agressivo à região anal⁶.


Referências Bibliográficas:
1. Efdeportes.com. Relatos de experiências vivenciados durante o banho no leito em um hospital metropolitano de Belém, PA [Internet]. Buenos Aires (AR): Revista Digital; 2011 Abr [citado 2016 Jun 15]. Disponível em: http://goo.gl/T8OzKY.
2. Kaidar-Person O, Person B, Wexner SD. Hemorrhoidal disease: A comprehensive review. J Am Coll Surg. 2007;204(1):102-17.
3. Lacy BE, Weiser K. Common anorectal disorders: diagnosis and treatment. Curr Gastroenterol Rep. 2009;11(5):413–419.
4. Schubert MC, et al. What every gastroenterologist needs to know about common anorectal disorders. World J Gastroenterol. 2009;15(26):3201-9.
5. Ramos L. Períneo [Internet]. Higiene íntima [citado 2016 Jun 16]. Disponível em: http:// goo.gl/O6avrI.
6. LAL Clínica Pesquisa e Desenvolvimento Ltda. Avaliação da ausência de potencial irritante e alergênico de um produto cosmético depois de repetidas aplicações sob apósitos em humanos (hript) - relatório final. Produto: Proctoderm. 2012. Dados internos.


PROCTYL® - policresuleno, cloridrato de cinchocaína. Indicações: Tratamento de hemorroidas, em especial aquelas acompanhadas de inflamação e hemorragia; fissuras, prurido e eczemas anais provocados por afecções anorretais; como curativo após cirurgias proctológicas. MS - 1.0639.0111. PRSUP_0319_0819_VP e PRPO_0319_0320_VP. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.