Corticosteroides
nas afecções
proctológicas

Os corticosteroides são substâncias utilizadas nas patologias de pele devido a algumas de suas propriedades, sendo talvez a mais importante delas a ação anti-inflamatória. Podem ser administrados por via oral ou com ação local. Em proctologia, o efeito mais desejado é a ação anti-inflamatória, que tem como objetivo a diminuição do inchaço, da vermelhidão, da coceira e da dor. As principais indicações em proctologia são, entre outras, a fissura anal e a doença hemorroidária.¹

Existem no mercado farmacêutico brasileiro vários corticoides de uso local com diferentes potências e diferentes propriedades. A sua eficácia depende do tipo de pele, extensão de lesão, concentração e potência do fármaco, e características próprias do paciente.²

Os corticoides são disponibilizados em várias formas de apresentação para uso tópico: pomada, creme, gel ou loção/solução.³

Nas pomadas, o medicamento é incorporado em bases mais oleosas (vaselina), proporcionando melhor hidratação, aumentando a penetração na pele. A pomada, por ser mais oleosa, tem menor efeito cosmético, mas tem maior poder hidratante.⁴

Importante ressaltar que nos casos onde a barreira cutânea está lesada, por exemplo, em casos de inflamações e lesões erosivas, a absorção do corticoide tópico é mais intensa. Nos casos de fissura anal, por exemplo, a absorção é maior e, por ser a pele perianal mais fina (assim como rosto, pálpebras e dobras cutâneas), geralmente são indicados corticoides tópicos de potência leve ou moderada.⁵

Por outro lado, as lesões localizadas na palma das mãos ou planta dos pés (onde a pele é mais espessa), e nas lesões crônicas endurecidas, os corticosteroides de alta potência estão indicados.⁶

Estes medicamentos devem ser aplicados uma a duas vezes ao dia. O aumento no número de aplicações não acarreta aumento de eficácia terapêutica, e pode elevar os efeitos adversos.

Devido à facilidade de acesso pelos pacientes de formulações tópicas contendo corticoides, e à boa eficácia no controle da inflamação e prurido anal, estes medicamentos têm sido muito utilizados na prática clínica diária. Isto faz com que o paciente procure reutilizá-lo em qualquer desconforto ou lesão de pele. Cabe ao médico prescritor informar com detalhes as vantagens e os riscos inerentes ao uso indiscriminado, abusivo e de forma inadequada.


Referências Bibliográficas:
1. Sulzberger MB, Witten VH. The effect of topically applied compound F in selected dermatoses. J Invest Dermatol 1952;19(2):101-102.
2. Wiederberg S, Leopold CS, Guy RH. Bioavailability and bioequivalence of topic glucocortocoids. Eur J Pharm Biopharm 2008; 68(3):453-466.
3. Lebrun-Vignes B, Chosidow O. Dermocorticóides. Ann Dermatol Venereol 2004; 131:39-48.
4. Brazzini B, Pimpinelli N. New and established topical corticosteroids in dermatology: clinical pharmacology and therapeutic use. Am J Clin Dermatol 2002; 3(1):47-58.
5. Freedberg IM, Goldsmith LA, Katz S, Austen KF, Wolf K. Fitzpatrick`s Dermatology in General Medicine. 6th ed. New York; McGraw-Hill, 2003.
6. Placquadio D, Kligman A. The critical role the vehicle to therapeutic efficacy and patient compliance. J Am Acad Dermatol 1998;39:S67-S73.
7. Lagos BR, Malbach HI. Frequency of application of topical corticosteroid: an overview. Br J Dermatol 1998; 139(5):763-766.
8. Bert-Jones J. Topical therapy. In Burns T, Breathnach S, Cox N, Griffths C, Editors. Textbook of dermatologt. Oxford: Blackwell Science; 2004, p75-1001.

Autor
Carlos Walter Sobrado

  • Mestre e Doutor em Cirurgia pela Faculdade Medicina da USP
  • Prof. Assistente Doutor da Disciplina de Coloproctologia-HCFMUSP
  • Ex-Presidente Sociedade Brasileira Coloproctologia e da ACESP (Associação de Coloproctologia do Estado de São Paulo)


PROCTYL® - policresuleno, cloridrato de cinchocaína. Indicações: Tratamento de hemorroidas, em especial aquelas acompanhadas de inflamação e hemorragia; fissuras, prurido e eczemas anais provocados por afecções anorretais; como curativo após cirurgias proctológicas. MS - 1.0639.0111. PRSUP_0319_0819_VP e PRPO_0319_0320_VP. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.